Mochileiro

descobrindo

o Brasil

Amazonas Rios

 

 

 

 

 

 

 

Início          Bibliotecas          Museus          Teatros          Biomas          Mapas          Radio          Blog

 

 

Amazonas      História      Parques      Rios

 

 

 

Propaganda 1

2

3

 

 

 

 

 

Compartilhar

 

 

Mapa hidrográfico do estado do Amazonas, localizado na região Norte do Brasil.

Todos os eventos culturais e locais turísticos, turismo no estado do Amazonas - Brasil.

Principais Rios do estado do Amazonas. Turismo ecológico no Brasil.

O rio Amazonascorta todo o norte da America do Sul, ao centro daFloresta Amazônica. Maior rio da Terra, tanto em volume de água quanto em extensão (6.937,08 km), dos quais 3.220 em território brasileiro. Nas cheias a distância de uma margem a outra pode chegar a 50 km. Tem sua origem na nascente do rio Apurímac (Localizado no alto da parte ocidental da cordilheira dos Andes), no sul do Peru, e deságua no Oceano Atlântico junto ao rio Tocantins no Delta do Amazonas, no norte brasileiro. Ao longo de seu percurso recebe, ainda no Peru, os nomes de Carhuasanta, Lloqueta, Apurímac, Ene, Tambo, Ucayalie e Amazonas (Peru). Entra em terrtório brasileiro com o nome de rio Solimões e finalmente, em Manaus, após a junção com o rio Negro, recebe o nome de Amazonas e como tal segue até a sua foz no Oceano Atlântico. O rio Amazonas, por ser um rio de Planície, é navegável em toda sua extensão.

 

O rio Içá possui 1.645 quilômetros de extensão, nasce nos contrafortes andinos do Equador com o nome de Putumayo, corre em direção sudeste, faz a divisa entre a Colômbia e o Peru, percorre terras colombianas e, com 310 km aproximadamente, adentra o território brasileiro, no estado do Amazonas, quando passa a se chamar Içá. O Içá desagua no rio Amazonas próximo a cidade de Santo Antônio do Içá, com uma desembocadura de 700 metros de largura aproximadamente e uma altitude, neste ponto, de 55 metros. É navegável quase na totalidade. Foto - Margi Moss.

 

 

 

 

O rio Japurá, nasce na Colômbia e banha no Brasil o estado do Amazonas. É afluente da margem esquerda do rio Solimões. O rio Japurá possui extensão estimada de 2.100 km, sendo 1.367 km em território colombiano e 733 km em território brasileiro, nasce no sul da Colômbia, onde possui o nome de rio Caquetá.

 

O rio Juruá banha os estados brasileiros do Acre e Amazonas. Nasce no Peru, atravessando o Acre até desaguar no rio Solimões.

 

O rio Madeira , tem extensão total aproximada de 1 450 km. O rio Madeira nasce com o nome de rio Beni na Cordilheira dos Andes, Bolívia. Ele desce das cordilheiras em direção ao norte recebendo então o rio Mamoré-Guaporé e tornando-se o rio Madeira, que traça a linha divisória entre Brasil e a Bolívia. Em Porto Velho, é onde se inicia a Hidrovia do Madeira. Complexo Hidrelétrico do rio Madeira é composto por duas usinas de grande porte: UHE Jirau (3.300 MW) e UHE Santo Antônio (3.150 MW). Foto - Tuko Dias.

O rio Negro é o maior afluente da margem esquerda do rio Amazonas. Na Colômbia, onde tem a sua nascente, é chamado de rio Guainia. Seus principais afluentes são o rio Branco e o rio Vaupés. O rio Negro tem 1.700km de extensão, é navegável por 720 km acima de sua foz e pode chegar a ter um mínimo de 1 m de água em tempo de seca. Na estação das chuvas, transborda, inundando as regiões ribeirinhas em distâncias que vão além de 32 km. Foto - Roberto Davila.

 

O rio Solimões, nasce no Peru e ao entrar no Brasil, no município de Tabatinga, recebe o nome de Solimões. Tem como afluentes da margem direita os rios Javari, Juruáe e Purus na margem esquerda os rios Içá e Japurá e percorre as cidades de São Paulo de Olivença Amaturá Santo Antônio do Içá Tonantins Jutaí Fonte Boa e Tefé, Coari, Codajás, Anamã, Anori, Manacapuru, totalizando aproximadamente 1.700 km até chegar a Manaus, onde ao encontrar o rio Negro, recebe o nome de rio Amazonas. Foto - Daniel Martins.

Boto Cor de Rosa, segundo a lenda, um boto cor-de-rosa sai dos rios nas noites de festa junina. Com um poder especial, transformar-se em um lindo jovem vestido com roupa branca. Ele usa um chapéu branco para encobrir o rosto e disfarçar o nariz grande. Com seu jeito galanteador e falante, o boto aproxima-se das jovens desacompanhadas, seduzindo-as. Logo após, consegue convencer as mulheres para um passeio no fundo do rio, local onde costuma engravidá-las. Na manhã seguinte volta a se transformar no boto. 

Existem na América do Sul, na bacia do Orenoco e Amazonas. O maior comprimento registrado é de 2,50m, e o peso pode ultrapassar 160kg. Uma das características são os pêlos modificados (vibrissas) sobre a parte superior do bico, que provavelmente têm função tátil. A coloração pode variar bastante com a idade, atividade e local em que o animal vive e está ligada com a irrigação sanguínea dos vasos subcutâneos. Basicamente é um animal solitário. Alimenta-se de peixes, mas pode também ingerir moluscos e crustáceos. A estação de procriação inicia entre outubro e novembro. Com nascimentos que acontecem 8.5 meses depois, em maio e julho. Os jovens nascem com 80 cm, a população é desconhecida, a ameaça aos golfinhos são as redes de pesca, caça, poluição, destruição do hábitat natural. Sua carne não é apreciada, porem sua gordura é utilizada como óleo de lanternas, os olhos e a genitália para feitiço.

O Peixe-Boi da Amazônia é encontrado principalmente na bacia do rio Amazonas, podendo atingir 4,5 metros de comprimento e 800 kg de peso. Seu corpo é de cor cinza escuro e o couro é grosso e resistente. Possuem uma mancha branca na região do ventre. O Peixe-Boi da Amazônia é herbívoro, alimenta-se de plantas encontradas dentro e nas margens dos rios. É o maior animal da Amazônia, sua espécie esta ameaçada de extinção, tem nome impróprio, pois não é um peixe e sim um mamífero.

 

O Pirarucu é um dos maiores peixes de água doce da Terra. Exclusivo da Bacia Amazônica prefere as águas mais calmas e transparentes. O Pirarucu tem uma bexiga natatória, uma espécie de bolsa de ar para controlar a profundidade, funciona como uma reserva extra de oxigênio. É por isso que o Pirarucu sobe periodicamente à superfície para “engolir” ar. A dupla respiração do pirarucu lhe permite “passear” pela floresta em busca de outras águas quando os igarapés secam. A carne do Pirarucu quase não tem espinhas e quando salgada substitui o bacalhau. Suas escamas muito duras são usadas como lixa de unha e ornamento artesanal. A língua óssea e áspera funciona como um ralo natural. A pele do Pirarucu é resistente e pode ser destinada à fabricação de bolsas, sapatos e até roupas. 

Tucunaré,existem 14 espécies conhecidas na Amazônia sendo cinco delas descritas (Cichla ocellaris, C. temensis, C. monoculus, C. orinocensis e C. intermedia). De maneira geral apresentam corpo alongado e um pouco alto de coloração amarelada-esverdeada com o dorso mais escuro e ventre branco. Conforme a espécie pode apresentar faixas escuras verticais ou manchas irregulares nos flancos além do característico ocelo sobre o pedúnculo da nadadeira caudal. Os pacas como o nome indica têm o corpo coberto de pequenas manchas brancas. Os Pitangas grande mancha vermelha sob a boca. Sem esquecer dos Azuis, talvez seja o peixe com a maior variação de cores da água doce. Podem atingir 1m de comprimento e pesar 15 kg é natural das bacias Amazônica e Araguaia-Tocantins.

A maior lili aquática no mundo é a Vitória Régia, nativa da bacia do rio Amazonas. Suas folhas arredondadas atingem até 2 m de diâmetro e possuem as bordas pronunciadas e levantadas. A vitória régia flutua graciosamente na água e pode sustentar o peso correspondente ao tamanho de um coelho. Quando floresce, suas pétalas são brancas, ou levemente rosadas, com bordas esverdeadas.

 

 

 

 

 

 

 

APRF.Turismo Contato - Mapa Site
Copyright © 2001. Todos os direitos reservados.
Revisado em: 15/12/14.