imagens-simbolos-do-estado-do-amazonas

Mochileiro Descobrindo o Brasil - Estado do Amazonas - Turismo e Cultura no Brasil




HISTÓRIA DO ESTADO DE MANAUS


Rio Amazonas, no estado do Amazonas, turismo e cultura no Brasil.


O estado do Amazonas esta localizado na região Norte do Brasil, tem uma população de habitantes e é formado por municípios, sendo o maior estado brasileiro, abriga os maiores rio e floresta tropical do mundo. Sua fauna e flora são formadas por grande variedade de espécies, proporcionando importante atividade extrativista e grande apelo para o ecoturismo e preservação ecológica.

A história do estado tem início com a escolha do nome Amazonas que foi dado primeiro ao rio e a região; depois ao Estado, pelo capitão espanhol Francisco Orelhana, em 1541, que afirmou ter lutado com uma tribo de índias guerreiras, associando-as às amazonas. Pelo Tratado de Tordesilhas, assinado entre Espanha e Portugal em 1494, a região amazônica pertencia à Espanha. Desde o início do século XVII, a área passou a ser alvo de incursões portuguesas. A região ficou abandonada até que os frades (leigos) Domingo de Brieba e André Toledo, empreenderam nova descida do rio Amazonas (1637). Pedro Teixeira viaja no dia 26 de outubro de 1637 para o interior da Amazônia, levando mais de 2.000 indivíduos, toma posse da região de Paianino em 16 de agosto de 1639. Ficava assim justificada a criação da Capitania do Cabo do Norte, em 1637, por Felipe IV da Espanha, governado por Bento Maciel Parente. Somente a 22 de junho de 1657, partia de São Luiz do Maranhão uma tropa, comandada pelo cabo Bento (Benito) Maciel Parente, para o sertão amazonense. Em 1658, outra expedição vai fixar-se no local da primeira, na boca do Tarumã. A colonização acontece com a criação do forte, em 1669, construído pelo Capitão Francisco da Motas Falcão e seu filho Manuel da Mota Siqueira. Aos primitivos, índios Tarumã, juntaram-se indivíduos das tribos: Baré, Pacé, Manau, Aruaques vindos do alto rio Negro, Mariquenas, etc., constituindo o primeiro vilarejo, que veio a chamar-se aldeia de São José do Rio Negro, depois da criação e instalação da Capitania de São José do Rio Negro.

São José de Marabitanas, em 1762, no rio Negro; São Francisco Xavier de Tabatinga, em 1766 o forte de Registro e em 1770 o forte Real em ruínas, nos nossos dias; Forte de São Joaquim do Rio Branco, em 1775, levantado por Felipe Sturn; Santo Antônio do Iça em 1754; Castelo, em Barcelos, capital da Capitania em 1755; e em 1776 é fundado o forte Príncipe da Beira. Demonstração da preocupação do governo em defender e consolidar o espaço físico conquistado. A criação da Capitania de São José do Rio Negro, assegurada pela carta-régia de 3 de março de 1755, sob a influência política e prestígio de Francisco Xavier de Mendonça Furtado, primeiramente governador do Pará, mais tarde na qualidade de Comissário de Limites e Demarcações, trouxe desenvolvimento para a região. Deve-se a Mendonça Furtado a fundação da Vila de Mariúra (Barcelos), criada a 6 de maio de 1758; Borba, criada em 1756; e outras. A capital da Capitania ficou sediada em Barcelos, até que Manuel da Gama Lobo D'Almada, já na governança da Capitania de 1786 a 1799, transferiu a capital para o lugar da Barra, atualmente Manaus. Foi a Província constituída por Lei Imperial no. 1592, de 5 de setembro de 1850. Com a instalação da nova província, em 1 de janeiro de 1852.



Turismo e Lazer no estado do Amazonas - Turistas em cruzeiro no rio Amazonas e Festa do Boi em Manaus.


Teatro Amazonas, idealizado em 1881 e inaugurado em 1896. Grandes artistas internacionais se exibiram em teatros de Manaus. Governava a Província do Amazonas em 1889, o Dr. Manuel Francisco Machado quando foi proclamada a República no Brasil. O governo provisório ficou constituído pelos Drs. Domingos Teófilo de Carvalho Leal; Capitão de Fragata Manuel Lopes da Cruz e Coronel do Exército Antônio Florêncio Pereira Lago.

Em 1890 o governo provisório do Brasil nomeia o Tenente Augusto Ximeno Vileroy para governar o Amazonas. Ximeno Villeroy se indispôs logo com os políticos de Manaus e resolveu abandonar o cargo ao seu oficial de gabinete, Dr. Eduardo Gonçalves Ribeiro, em 2 de novembro de 1890, é deposto por uma revolução armada, chefiada pelo Capitão de Fragata Borges Machado, novo titular da flotilha de guerra. Constitucionalizado o Estado, foi eleito governador e assumiu a 23 de julho de 1892, governando até 23 de julho de 1896.

Com a criação dos territórios federais de Rondônia e Roraima. Os municípios de Porto Velho e Boa Vista passaram àqueles territórios. Pela lei no 117, de 29 de dezembro de 1956, que fixou a divisão territorial, administrativa e judiciária, os antigos 28 municípios desmembraram-se, aumentando para 44 municípios. A exploração de recursos florestais tem grande importância no Amazonas. O principal produto extrativo é a borracha, a castanha-do-pará, as gomas não elásticas e a piaçava; a extração de madeira, sementes oleaginosas e fibras. A extração mineral tem ampliando (ferro, manganês, cassiterita, petróleo, gás).

As atividades agrícolas desenvolvem-se nos solos de várzea. A juta, o guaraná e a mandioca são os principais produtos, cultivam-se também a banana, a cana-de-açúcar, o feijão e a laranja. Nos campos de várzea criam-se bovinos. A Zona Franca de Manaus, que começou a ser implantada em 1967, ganhou maior expressão como centro industrial autônomo a partir de 1972. O empreendimento contribuiu, em especial, para o progresso de Manaus.


A Zona Franca de Manaus, que começou a ser implantada em 1967, ganhou maior expressão como centro industrial autônomo a partir de 1972.


            Link IBGE




    AC - AL - AM - AP - BA - CE - DF - ES - GO - MA - MG - MS - MT - PA - PB - PE - PI - PR - RJ - RN - RO - RR - RS - SC - SE - SP - TO